Terça-feira, 12 de Julho de 2005
A questão do Aeroporto da Ota.

(Intervenção de Miguel Anacoreta Correia, enviada para o jornal A Capital)

O problema não se põe em termos absolutos: OTA ou Portela. O que está
em causa é saber se a decisão do Governo foi precedida de todos os
estudos necessários tendo em conta as implicações de um empreendimento desta natureza e dimensão. Não foi.

Já tive ocasião de dizer que, por exemplo, não foram feitos estudos
profundos sobre a saturação do espaço aéreo, sobre quanto custa o comboio que faz a ligação entre a OTA e Lisboa em menos de 20 minutos, sobre quanto custa desactivar e recuperar os terrenos poluídos da Portela... todos estes estudos não foram feitos. E, com certeza, muitos outros.

Mas o problema maior é que, essencialmente, não foi estudado o impacto económico da decisão de mudar da Portela para a OTA. Um novo aeroporto não é só uma questão de orçamento e de custo para o contribuinte, mas tem implicações económicas que não foram inimamente estudadas.Lisboa perderá competitividade.

Não foi realizado um estudo comparativo entre a Ota e a hipótese da
Portela reforçada por um dos dois aeroportos da Área Metropolitana de
Lisboa: Montijo ou Alverca. A Portela, dentro de dois anos, concluídas as obras em curso, ficará com uma reserva de capacidade de 30 a 40 por cento.

Estes "aeroportos complementares" - Montijo ou Alverca - poderão
atingir capacidades de seis a sete milhões de passageiros com investimentos muito moderados. Sou, em conclusão, contra a forma como foi tomada a decisão, gravissimamente lesiva para os interesses de Lisboa. Mas decisões destas, tomadas com ligeireza, sobre equipamentos de grande significado para a cidade de Lisboa, sem previamente consultar o município, são um hábito antigo do Governo central. Vamos a ver como se passarão as coisas para o TGV...

Esta deturpação foi há dias denunciada pela Dra. Maria José Nogueira
Pinto. Foi a única de todos os candidatos a fazê-lo. Adoptada desta
forma, esta decisão é um erro. Se for provado que a Ota é essencial para o todo nacional, obviamente que serei a favor. Repito: tomar a decisão nestes termos significa apenas mais despesa pública e prejuízo para Lisboa.

Miguel Anacoreta Correia
(Segundo na lista do CDS-PP à Câmara Municipal de Lisboa)
publicado por Maria José Nogueira Pinto às 10:46
link do post | favorito
|
Envie um e-mail
pesquisar
 
Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
posts recentes

Vereador sobre eventual r...

Prioridade número um é at...

Anacoreta Correia teme co...

350 atletas em Lisboa no ...

Oposição exige que seja o...

Turismo: Lisboa subiu par...

Filmes da Argentina e Mal...

Carmona tenta convencer M...

Oposição vê eleições como...

Carmona partiu para expos...

arquivos

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Maio 2006

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

tags

actividades

agenda

intervenções

notícias lx

opinião

programa eleitoral

propostas

revista de imprensa

sobre mjnp

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds